quinta-feira, fevereiro 03, 2005

ECOS do BRASIL! (EB)

Foi com um grande grau de tesão que assisti à notícia do nascimento do Ecos do Amial, nome, aliás, de um jornal de mui reduzida tiragem nos idos anos 90 do século passado, que teve 2 ou 3 edições. Ora autores do projecto foram, então, eu próprio (aplausos) e o "falecido" Zé Augusto (aplausos também para ele). Não é sem alguma vaidade que assisto ao aparecimento deste blog, já que, indirectamente, contribuí para o seu nascimento.

Já dei uma vista de olhos pela dita página. Francamente gostei e não escondi umas gargalhadas, apesar de estar no momento a jantar com o Lula. Ainda me perguntou o que era, porque é que eu estava rindo. Eu respondi: foi o Fausto, o Canjas e o Araújo, que criaram um blog do amial e eu estava a rir-me de algumas situações cómicas (tive que lhe dizer CÔMICAS, senão ele não entendia, o Lula) que me fizeram lembrar do Tony Seixas, do falecido Karlera ( que, se Deus quiser, está a dar caldos no céu), e de outras cenas bonitas. Lula pareceu entender e comentou: hummm. Eu virei-me para ele (porque etava virado na altura para o Ronaldinho Gaúcho) e disse: Agora parecias uma vaca, ó Lula. Ele respondeu: não, qui nada rapaiz, é porqui minha avó era uma grande vaca. São restícios.


Agora não posso, mas sempre que puder vou tentar contribuir para este blog com pequenos textos que relatem situações brasileiras, a que eu assisto e ouço por aí. Eu sou também um amialense e estes Ecos do Brasil ajudarão a denegrir ainda mais todo o amial, as gentes, culturas e ranchos folclóricos da região, bem como o próprio Ecos do Amial. Este objectivo, o de denegrir, é um belo objectivo. É também um belo verbo: eu denigro, tu denigres, ele denigre, nós denigramos, vós denigrais, eles denigram. Foi o primeiro verbo que aprendi na escola.

Agora não posso mais. Vou embora, vou provar do cuzinho de uma bela indígena. Ela está a cozinhar para mim.

Até breve e mais uma vez parabéns a quem fez isto.

Beijos

Pedro Galinha

Recife (a segunda cidade mais violenta do Brasil), 3 ou 4 de Fevereiro (não tenho certeza) de 2005

4 comentários:

Boudu disse...

alo pessoal do Mial. Fico muito contente por voceses quererem exprimir os vossos eCUS num blog. Assim poderemos deixar para sempre as nossas experiencias de vida aqui no lugar do largo, esse maravilhoso campo de jogos onde so mesmo o maracaná não se sentiria envergonhado. Espero que este blog viva como nós sempre vivemos a nossa vida. Sempre segundo a moral e os bons costumes que nos foram ensinados pelas nossas mãezinhas que sempre pensaram que nós estavamos na capelinha a rezar pelos pecados dos que davam caldos e fumavam maconha. É só bons rapazes. Mas a culpa não é nossa. Como muito bem explicou um dia o raposinho a meu pai:" A culpa é da corrente que saltou da cremalheira, sr. Calos". E Assim a vida passa tal como passou um dia o Chico Bombas por nós no largo com o 21 a pendura quase deitado no banco. Como uma bala. A culpa é´do poprio ar que se respira aqui no Amial ou talvez das más influencias causadas pelas queimas voluntarias de mortalhas junto a qualquer coisa que agora não sei precisar, ou mesmo ainda à falta de visão de muitos para um problema grave que é a elevação do Amial a cidade. Uma cidade dentro da cidade um mundo dentro deste planeta. algo maior que o universo e quem sabe maior que a propria terra. Viver no Mial não é uma necessidade, não é um acaso da vida, não é o sermos filhos dos nossos pais que para aqui vieram em tempo de crise, é sim uma filosofia de vida, um momento Zen, um luxo que poucos tem acesso, uma oportunidade unica de conviver com gente tão digna,extraordinária e unica. O prazer de conhecer tudo o que a vida nos pode ensinar em meia duzia de km. Aliás não se pode dizer que vivamos no amial. Nós somos o amial. Se Deus tivesse que escolher um lugar para viver certamente seria no Amial, e quase tenho a certeza que seria meu vizinho do lado. A casa do lado pertence a "ele". Pelo menos é o que me dizem à muitos anos: "Oh Carlitos, a casa pertence à igreja"(D. Maria Jose, Zezinha para os mais chegados). Por isso certamente Deus é meu vizinho ou então tem a casa para os esquemas Dele. Um dia fiquei à janela o tempo todo na esperança de ver Deus a sair daquela casa, mas a unica pessoa que de lá saiu foi o Fausto. Fiquei confuso. Será que o Fausto é Deus, ou será que a Zezinha gosta tanto daquele filho em especial que pensa que ele é o poprio deus. E melhor que isso saiu de mota pelo que pode deduzir que o meio de transporte lá no ceu tem duas rodas e dá para trepar tudo. O unico mal e pensar que um dia quando chegar ao céu vou ver outra vez a careca do frinx. Podia ser pior... Resumindo, a vida aqui é´como os copos. Quando está quase a ficar vazio já estamos a meter a mão ao bolso pra ver se dá para mais um. E se não der pedimos um golinho ao gajo que esta ao lado. E como dizia o pequeno sapo ao rei leão:"Que se foda o crocodilo, nos queremos é gajas, muitas gajas", e boas muito boas. Abraços e voltarei... Tio Galinhas: Dolce fare niente. Estou quase, já esta quase. Mi espera vai... Deixa Algumas para mim. Já sabes alem das altas, boas e vsitosas, gosto de tudo o resto.

Boudu disse...

P.S. aos senhores administradores deste blog. Esqueceram-se de duas frase mitica desse verão de 1945, uma dita pelo tio galinhas em plena posse de todas as suas faculdades mentais: "Aqui vamos nós, Prá quinta de Jós", e outra pelo Fausto." Oh Oh Oh OH mainheeee, aquele bifi mal passado com tinta interessanti"
Um Abraço

Dr.Lux0 disse...

Gostei dessas introspecções marítimas.... TivesteS bem!
Mas deixa-me rectificar.
A frase não é frase, é uma letra de uma música, ó con@s! E não era assim, era assim:
O_O_O_O_Ma_anhêêê! Aquele bifi mal passado qui você mi deu quando eu tinha 20 anos, etc.
LOOOOOOOOOOOOL

Bem vindo Bili the Kid
(tu por acaso não és parente do Bibi & the Kids?)

Galinhas, vê se te esgalhas e postas mais vezes!
E já agora, o verbo está bem nas 3 pessoas do singular, quando vais pró plural fod3s tudo: nós denegrimos, vós denegris, eles denigrem - isto no presente do indicativo. Aliás, disseste as 3 do singular no presente, e as 3 do plural no conjuntivo!!!
Duh!
Tomem lá um site que vos ajuda em caso de dúvidas de gramática, etc:

Dicionário Porto Editora Online

Maria disse...

Gostei deste novo template.