segunda-feira, maio 30, 2005

PARABÉNS APIMENTADOS!

Parabéns ao nosso amigo amialense CHICO LAVANDEIRA pelas suas 31 primas Veras! (salvoseja!)
Que contes muitos mais, por muitos anos e com saúde.
És das poucas pessoas cuja profissão deixa todos de boca aberta e ainda te pagam para isso! Hehehe.

Abraço

quinta-feira, maio 26, 2005

COMO ANDAM ESSAS MEMÓRIAS?

Lembram-se da Pacific Sud? E de uma idas diferentes ao Continente de Matosinhos? Qual é o volante mais famoso do Amial? E do rapaz que foi à Holanda em viagem de finalistas? O que vos sugere?
Pois eu digo-vos o que a mim me sugere: roubos descarados, practicados por, hoje, pacíficos amialenses, casados, com filhos, frequentadores de igrejas.
Nas idas décadas de 80 e 90 (?), protagonizei, com outros, idas à Pacific Sud, fábrica e loja de gangas na Ponte da Pedra. Boas, baratas e fáceis e roubar. O truque era vestir um par no provador e colocar por cima as nossas. Era opcional comprar ou não outro par. Eu comprava. Não era assim tão descarado. Apanhávamos o 71 e lá íamos em expedição roubar. O controle era quase nulo e que eu me lembre nunca ninguém foi apanhado.
O Belmiro de Azevedo também foi lesado variadíssimas vezes, mas aí o sistema de segurança era mais apertado. Um dia, o meu colega de "profissão", resolveu levar um volante daqueles grandes, para o seu 127. Ele era magro e o casaco de couro não ocultava o papo. Eu insisti que era melhor não, mas ele era persistente. Eu bem vi quando a ranhosa o viu a ajeitar o maljeitoso volante e avisei-o. Ele disse que tinha sido impressão minha. Acabámos no escritório do chefe de segurança a despejar o produto do roubo. Só a título de curiosidade, cito alguns dos artigos: chocolates, fiambre, uma lata de um produto para carro (127!) e um belo e enorme novo volante.
Recordo ainda uma ida ao Algarve, onde, no parque de Campismo de Albufeira, os pequenos almoços para o pessoal eram gratuitos, tomados na própria esplanada da piscina do parque. Eu e um famoso amialense encarregavamo-nos de trazer do mini-mercado do parque os víveres para dar de comer a esfomeados de Braga, Lisboa, Aveiro e Ovar, se bem me recordo.
Para terminar, lembrar a internacionalização de alguns amialenses no mundo do crime, como um finalista de curso na Holanda, que depois expôs em cima da cama o material adquirido, para quem quisesse apreciar, e ainda uma ida à Suiça, minha e de mais uns 4, durante a qual se roubou em mercearias e cafés e até havia um elemento que transformava pesetas em francos suiços, limando-as no torno do hangar onde dormíamos, que lhe davam acesso, muito mais em conta, a selos, chocolates e cigarros de máquina. Lembro-me que num dia ele ía tirar selos da máquina, mas alguém tinha dado pela tramóia e fechou a ranhura.
Quase todos no Amial passámos por fases cleptómanas. Quem não passou que se acuse. Se não houver comentários estamos conversados. Se quiserem, contudo, recordar alguns episódios, fachabor.

terça-feira, maio 24, 2005

NASCEU MAIS UM AMIALENSE- Mateus


mateus (logo feito pela Mama Susana) Posted by Hello

Pois é, a mana Susana e o Ivo estão de parabéns, o Mateus acabou de nascer!:)

domingo, maio 22, 2005

CANJAS, O RESISTENTE!

Amialenses Felizes...

Há onze longos e penosos anos que o nosso Canjas "lutava", sofrendo à sua maneira, pelo título do seu Benfica. Em notória inferioridade numérica, foi sempre encontrando forças e renovando esperanças no seu clube do coração. Hoje, finalmente, o bravo Canja vai extravasar onze anos de frustrações e poder dizer que o seu clube foi o melhor. Não pretendo aqui ignorar outros benfiquistas/amialenses sofredores, como o Tio Júlio, o Cão de Agua, o Chico dentista, o Miguel Baldaia, a Zé Vasconcelos, a Luz Vasconcelos, a Rosário, o Ivo, entre outros que por lapso de memória não me lembro agora. Mas o nosso Canja, esse, será sem dúvida o que mais sofreu e viveu esta paixão do futebol e do seu Benfica, ainda por cima morador numa toca de Dragões, com alguns "cunhadinhos ranhosos! a ajudar à festa, ultimamente cheios de motivos de rirem do "coitadinho benfiquista".
Hoje o Canjas vai botar o indicador direito na boca e dizer:
CHIUUUUUUUUUUUU!!!!, BOCÊS NÃO GANHARAM NADA E E EU POSSO FAZER A DOBRADINHA!!! APOISÉ!!!

sexta-feira, maio 20, 2005

AFINAL, ASSINOU PELO INTER...



Faço-vos a vontade..
Mas para mim continua a ser o melhor guarda redes Português.
Riam-se e gozem à vontade...
Domingo à noite vão andar uns cabeçudos e outros eufóricos.
Entretanto já não tenho nada com isso...
Fodende-vos...

quinta-feira, maio 19, 2005

CAMPEÕES DO QUASE...



FARTEI-ME dos "Treinadores de Bancada"
Eles é que estudam, eles é que têm métodos avançadíssimos de colheita de dados dos adversários, eles estão com os jogadores nos treinos bi-diários, sabem da condição física de cada um, falam com médicos, psicólogos, massagistas de recuperação, com os preparadores físicos e até com os roupeiros. Foda-se, eles (treinadores) ganham 20 mil contos + ou -).
Mas não, nós, os "treinadores de bancada" "há" que sabemos.
O Scollari bate mal, o Peseiro também...(por causa do Ricardo)
Fosga-se... Chegaram os 2 a duas finais Europeias.
Quantos Internacionais de gabarito tem o FCP? E o SLB???
Muito mais que o SCP, aliás o SCP só deve ter o "frangueiro".
Por isso o Sr. Peseiro pôs uma equipa modesta em termos individuais a disputar duas competições até à última. E o que eu ouvia no estádio?
FDPUTA tira-me esse gajo e bota aquele.
Ainda por cima com sotaque Lisboeta: Cabrãoooo!! Hé Pá, tira-me esse gajo...
Meus amigos e leitores, falar e escrever é fácil. Eu ainda tenho uma leve (10 anos) experiência do que é competição a nível médio (joguei na 2ª divisão nacional de andebol), mas agora vejo cada caramelo tipo lux0 que nem natacinha praticou e quer denegrir a imagem do Ricardo, por ex., a custo da sua própria ignorância e, pior ainda, pelo clubismo. Pelamor de Deus... Deixai-os em paz. Nem quero ser eu o prepotente e saber mais que os outros.
Cada um de nós tem a sua opinião, é certo, mas devemos ser mais comedidos e deixarmos de nos querer comparar com quem realmente sabe..
VIVA O SPORTING..
E todos aqueles que representam por qualquer facto as cores Nacionais e principalmente do Amial, como mostra a mensagem gráfica..

quarta-feira, maio 18, 2005

RUMO A ALVALADE XXI !

O Bombas telefonou-me bem cedo. Cedo aqui, porque aí já era meio dia. Não tinha pregado olho a noite toda, mas parece que não foi porque a noite de amor foi tórrida, nem porque a filha estava com gazes ou dentes a nascer. Parece que foi a visícula. Mas, como grande sportinguista que é, não desarmou e preparava-se para seguir para Lisboa, com mais um grupo de malucos da bola, entre eles o Eurico, para ver a final, que todos esperamos, o Sporting irá vencer. O Bombas mostrava-me a sua apreensão, na viagem que iria fazer com os elementos da pacífica Juve Leo, rapazes que não bebem , não fumam chicharros e vão à missa todos os domingos de manhã. Além disso o Bombas estava pensativo: será que à entrada do estádio iam deixar passar a sua bomba da asma? Eles nem isqueiros deixavam entrar! Eu acalmei-o e disse que levasse o seu Cartão do Asmático, no caso de haver problemas à entrada da bomba. Além disso sugeri-lhe que botasse uma carteirinha de amorfos junto aos cigarros, dentro daquela bolsinha gay, que eu penso que ele leva.
À parte os nosso queridos amialenses e mais a sua viagem, queria dizer que vou torcer para que mais uma Taça Europeia venha para o país (no caso de hoje, ela já cá deve estar).
SpooooooortinG! SpooooooortiinG!

segunda-feira, maio 16, 2005

Parabéns.


Parabéns mano! 18 aninhos! Quem dera...porta-te bem!:) Posted by Hello

sábado, maio 14, 2005

PARABÉNS AMOR, MÃE DA LUZ DA MINHA VIDA



Muitos parabéns e que dure para sempre este nosso amor, iluminado com a nossa menina e com os que mais poderão vir..
És uma Amialense emprestada, mas já te corre no sangue a água inquinada do Bairro do Amial.
Mil beijinhos e encontrá-mo-nos já na caminha....

quarta-feira, maio 11, 2005

a todos um bom natal

Antes de mais nada queria pedir desculpa pela minha ausência. Mais uma vez perdi o filho da puta do 71 e tive que andar a pé até casa. Mas por azar encontrei logo o 21 e a caminhada prolongou-se pela eternidade que ele demora desde a baixa até ao Amial. Foi um momento lúdico, diria mesmo uma oportunidade única para aprender sobre a vida daqueles que habitam próximo de nós. Seja como for não foi para contar essas histórias, que na realidade não vivi, que aqui vim fazer. Eu só queria dizer uma coisa rápida: primeiro penso que todos estão a queixar-se do facto de ninguém escrever neste blog mas ainda ninguém fez nada para alterar este problema “ Falaindes falaindes não fazeindes um caralho”. Segundo acho uma piada esse emigra que nada faz na vida ainda se dar ao luxo de mandar postas de pescada para a pátria como se nós, o povo não tivéssemos que trabalhar. Galinhas manda postas mas de preferência de bacalhau. Em terceiro lugar queria só avisar que em quarto vou cair em cima do Chico bombas, sim esse monte de músculo fora de data. Em quarto, e como referi em terceiro, só queria dizer a essa personagem, Sr. Bombas, que ele pode até ter uma forçazita nos bracitos, mais no direito que no esquerdo, claro , devido a muita pivias batidas durante a sua infância, que se ele tivesse nascido um século antes poderia fazer concorrência ao corcunda de notre dame. Serias uma aberração, uma besta, um homem elefante, um rejeitado da sociedade. ÉS UMA MERDA OH PALHAÇO. Em quinto queria dizer que em sexto vou falar do canjas e em sétimo vou referir o Fausto. Em Sexto vou so dizer que o canjas não foi Pápa por um único motivo. Este nosso representante da igreja, este santo que tanto fez por espalhar a lei pelo mundo, este representante que poderia estar agora a calçar as chinelas de Pedro, este ser iluminado que tantas crianças acolheu no seu colo (só nunca percebi porque é que eram sempre do sexo feminino??) não foi eleito Pápa porque pura e simplesmente não queria que um alemão ou mesmo um inglês lhe fodessem a cabeça quando fosse velho. Sim porque ter um Alzeimer, ou mesmo um Parkinson, a fazer tremer a toda a hora não ia ser um final feliz para este nosso companheiro. Em sétimo vou só referir o Fausto por referir. Nada mais, não vou contar nada de interessante até porque nada de interessante teria para contar e mesmo que algo de interessante houvesse para dizer certamente não interessaria a ninguém. Em oitavo gostaria de referir que a minha segunda introdução veio depois da primeira e antes da terceira para que após esta viesse a quarta. Um abraço e queria ainda referir que o meu próximo post vai ser um pouco mais violento a nível de linguagem pelo quem menores ou pessoas susceptíveis não deverão ler… E assim se escreve sobre nada e nada mais aprendemos sobre estes assuntos. Mais uma vez o titulo foi escolhido entre muitos. Penso que este se enquadra bem no contexto deste post

terça-feira, maio 10, 2005

E O QUE É QUE O AMIAL TEM A VER?!

"Sangue de Cristo tem poder, vai beber sangue no açougue", é a frase que ouço quando passa a coruja soltando um estridente piar. Eu aprendi a colaborar e respondo a famosa frase amialense, não de minha autoria, que eu não sou um génio, " Deus te guie, caralhinho que te foda". Por aqui o tempo está parado para alguns, pelo menos em alguns aspectos. No outro dia ouvia chocado a já famosa empregada a dizer que " as cabeleireiras dizem que minha filha não pode fazer escova no cabelo antes de menstruar". Quando um cientista social, que é o que eu sou, ouve estas coisas, até a pele se lhe arrepia, até o estôgamo se lhe comprime, mas como temos que ser cautelosos nestas coisas, há que manter a postura.
Aqui na terra das seitas religiosas os lobisomens existem. Aqui, neste pedaço de terra metade paraíso metade inferno, a coruja que passa a piar anuncia uma morte e devem ser pronunciadas as palavras magicas à sua passagem. Aqui, as mulheres menstruadas não podem comer marisco e apanham infecções na valgina se se sentarem em locais quentes, como areia ou muros baixos - esta tem uma explicação mais lógica que explicada em jeito de equação é TEMPERATURA ALTA+CARNE VERMELHA COM OU SEM PELO= BACTÉRIAS E MICRÓBIOS COM FARTURA.
Mas o que é que isto tem a ver com o amial? E com o Ecos do Amial? Eu explico: nada ou tudo... se optarmos pelo nada a explicação é que este tema não diz respeito aos amialenses; se optarmos pelo tudo é que é um amialense que escreve no Ecos do Amial e que se inspirou numa frase amialense para escrever o que escreveu. De qualquer modo, no estado decadente em que nos encontramos qualquer coisa é melhor do que nada...
Ass: um militante deste vlog

sexta-feira, maio 06, 2005

MISSIONÁRIO ESCALDADO...



...D'ÁGUA FRIA TEM MEDO!!!!

Poisé...

Depois do sucedido (e por ele mui bem "relatado"), por vias das dúvidas, o nosso Missionário em Pernambuco resolveu por bem tomar algumas providências.
Após o violento e quase fatal confronto com o "alma sebosa" semi-holandês, o nosso pintainho, aliás, Galinhas, teve de ir ao mercado negro, aliás, preto e comprou o que melhor lá havia para afugentar, aliás, dissuadir novas "almas sebosas".
Esqueceu-se é que iria partir uma pata, aliás, um pé e por isso o seu arcabuz vai ficar debaixo da almofada pelo menos durante uns dois meses, aliás, sessenta dias.
Valha-nos ao menos que ele pode continuar a Missionar através da tecnologia.
Encontra-se deitadinho de barriguinha para o ar e com o pé, aliás, pata, em cima de 4 almofadas, pois o "médico" aconselhou-o a ter a pata, aliás, o pé, a uma altura superior à do coração. Rico "médico", aliás, terá sido uma médica?
Continua contactável no Messenger para quem lhe quiser dar uma palavrinha de consolação, aliás, de conforto, aliás, de apoio moral.
Aliás, até lhe podem ligar para o telefone fixo, que, aliás, é bem mais barato.
0055 813 469 7413
As melhoras rápidas para a nossa ave poedeira, aliás, é o que lhe desejamos..

quinta-feira, maio 05, 2005

ECOS DO AMIAL...QUE PASSA?

Não estou a entender. Esta é uma página nova mas já é uma Instituição. Na última edição de Blogs and Soyone, o Ecos do Amial aparece num honroso 10º lugar mundial nos blogs de qualidade. Apenas dois contributors andam a dar-lhe com força. Penso que terá uma descida abrupta na classificação do próximo mês, já que os índices são medidos pela qualidade, quantidade de contributors a postar e comments. Que se passa? Vamos dar a volta a isto ou vou ter que amandar uns matadores aí para vos apertar um pouco?
O Luxo anda estranho, o Canja é pouco profícuo, o Boudu é de luas, o Funky nem vê-lo. Sei que tenho mais tempo que os outros, mas antes não era assim. QUE SE PASSA? Para que isto marche temos que variar, e a variedade só se consegue com mais contributors a contribuir. Contributor=o que contribui..e atão?...Já vos disse, não estamos no tempo em que todos fazíamos o que queríamos. Isto não é o 25 de Abril. Se não postam eu sou obrigado a enviar aqui uns amigos para conversar com vocês. Ao menos digam-me: O QUE SE PASSA?

terça-feira, maio 03, 2005

HISTÓRIA DO LARGO-UMA VERSÃO...

Quem descobriu o Largo? Sabe-se quem descobriu o caminho marítimo para a Índia-e não foi o Vasco da Gama de certeza-, sabe-se quem descobiu as Almorróidas-claro, todos sabemos, foi Ibn Almorroidal, no século IX-, e sabe-se também quem descobriu a Vácina-foi o sobrinho do Ratola, que nos dizia, vindo do carreiro que separa a casa dos pais do referido roedor do principal jardim do Largo: " ali tem vácinas"...eram as gringas, que algum amante da perfuração de veias tinha ali deixado.
Mas afinal quem descobriu o Largo?
A minha teoria é que o Largo não foi descoberto, mas inventado. Pode ser polémica esta afirmação, mas eu sustento-a.
Antes do Largo ser uma realidade nas nossas vidas, havia o "aquecedor", onde paravam alguns habitantes mais novos das casas próximas ao Largo. O "aquecedor" fica situado bem próximo à casa do Carolo e do Engenheiro Agrónimo e Professor Universitário Pedro Alves, do outro lado da estrada, em frente ao Jardim das Vácinas, ou Jardim do Largo.
As brincadeiras eram inocentes, pouco se fumava, a maconha ainda não tinha sido descoberta e os meios de transporte eram, maioritariamente, os bitorinos e o os autocarros.
O tempo ía passando, e do outro lado da Engenheiro Carlos Amarante íam passando, e imbentualmente parando junto ao aquecedor, outros moradores do Bairro, de ruas mais distantes do Largo:Bombas, João Martins, Zé Miguel, entre outros.
Eis que chegam as cigarradas, o cannabis, os primeiros carros, as primeiras motas. Houve a necessidade de um espaço mais amplo, que, por um lado suportasse toda uma logística-potentes motos e carros- e, por outro, constituísse um local mais reservado, pelo menos aos ouvidos e olhares dos familiares mais velhos de alguns elementos-Carolo e Rosário, Pedro Orelha, o nosso Angrónomo, e Pedro Galinhas eram os mais expostos.
Assim, o Largo era a solução natural-amplo, lugares para estacionamento, reservado, longe de quase todas as casas e, ainda por cima, dotado de um belo campo de futebol, que eu proponho que batizemos como Campo Desportivo Manuel das Petas. Ali se praticaram, entre outras modalidades, o futebol, as escondidas, a sueca, a malha e algumas Brincadeiras-de-Homem-Coice-de-Mula como o "aguenta comigo real camarada", peões e cavalinhos de mota, o "nem mais um" e um desporto único no mundo ali criado: o arremeso do torrão de terra, de efémera existência, pela violência registada nos primeiros dias: vidros partidos-que daria origem ao cognome "Semanadas", e olhos quase cegos.
Assim nascia o Largo, cuja população foi crescendo de forma desordenada, e que na sua época áurea podia acolher-salvoseja- cerca de 30 homens e mulheres, 10 carros e outras tantas motas. Mas não se julgue que o Largo era uma feira de vaidades. O largo era a nossa casa, o nosso lar. Passávamos mais horas ali do que em casa, porque nos sentíamos bem, melhor do que em casa, que na realidade era dos nossos pais. O Largo era nosso e não dos nossos pais. Ir ao Largo era, verdadeiramente, ir para casa.

Foi a minha versão do aparecimento do saudoso Largo...

domingo, maio 01, 2005

ESTA FOI BRAVA!...

OnteM saí de casa e estava uma alma sebosa cá fora, de carrinho de mão, sem camisa e com um aspecto de filho-da-puta que só visto! Começou a falar comigo, e eu, feito maluco, abri o vidro do carro, para o escutar. O que fui eu fazer! o Gaijo largou bruscamente o carrinho e dirigiu-se a mim, falando um idioma muito estranho. Assustei-me. Não era português. Então o que era?
Saí do carro, um pouco receoso. Depois de 3 minutos de "conversa", e comigo atento ao papo que ele tinha nos calções, não na zona do péne, mas um pouco ao lado, comecei a identificar um holandês meio farsola, já que afinal havia palavras portuguesas pelo meio. Ele acabou por desembainhar a sua 12 de fabrico artesanal. Reagi com fúria. Primeiro disse-lhe para disparar, batendo com a mão no peito, depois parti para cima dele, com um pontapé inicial nos colhões. Largou a doze imediatamente e, com ódio, acertei-lhe outro chuto na cara, embora não muito forte. Entretanto um casal assistia a 10 metros, em pânico, a tudo isto, ele com telemóvel já em punho, chamando a polícia. (soube depois).
O meu chuto na cara do cabrão não o derrubou e ele procurava a sua doze no chão. Azar do caralho, eu tinha-a na mão, mas não sabia se funcionava e nem queria usá-la, apesar da fúria.
Atirei instintivamente a arma para um terreno baldio com muro ali perto. Ele ficou cego com o meu gesto e partiu para cima de mim. Como não era um boi, levou, levou, levou tantas e se me acertou duas ou três foi muito. Ainda não sei como tive forças para lhe abrir uma bela ferida na perna com o seu próprio carrinho de mão. O povo juntou-se e ele começou a querer agredir uma mulher. Azar do caralho! O povo (eram talvez umas sete pessoas) partiu para cima dele e começairia ali a execução sumária, não fosse a intervenção de um duo de mormons.
O corpo dele estendido no chão, cansado e ferido(imagem triste) esperava apenas a polícia.
O meu testemunho dei-o ali mesmo, à entrada de casa. Testemunhasnão faltaram. A pistola foi recuperada. Embora me tivesse assustado um pouco, senti-me bem. Tinha cumprido a minha parte. Podia ter levado um tiro, podia ter morrido e fui fortemente criticado por ter reagido. Perguntei a um dos espectadores que raio de língua é que falava aquela alma. Respondeu que seria uma mistura de holandês com português. Eu perguntei porquê e ele disse-me que há um bairro aqui em Jaboatão em que alguns moradores insistem em falar o holandês, que cá estiveram entre 1630 e 1659. Fiquei de olhos abertos, a escutar aquilo...seria possível? Eu tinha que ir ver isso com os meus olhos...é o que vou fazer hoje, embora ainda um pouco emocionado e de peito inchado pelo que aconteceu.
Que dia o de ontem!!!