quinta-feira, dezembro 15, 2005

Parabéns HERLANDER!

Mais conhecido por Nando ou
FERNANDO: "Significa ousado e indica um batalhador incansável, que actua por impulso mas leva até ao fim tudo o que começa. E quase sempre consegue resultados positivos. As ideias inspiradas e o amor à liberdade são outras das suas características mais marcantes." in "Significado e origem dos nomes"
Do inglês FERDINAND - "Possibly means "ready to journey" from Gothic fardi "journey" and nand "ready". This was the name of several rulers of Spain, Portugal and the Holy Roman Empire. Also, the Portuguese explorer Ferdinand Magellan was the leader of the first expedition to sail around the earth." in "Behind the name"

Só é preciso é começar... ;)

Grande abraço de felicidades em nome dos amigos do Amial

6 comentários:

Pedro Galinhas disse...

Parabéns, Fernando!
Antes do mais, relembrar que a versão da origem do teu nome apresentada pelo Lux0 é de Isidoro de Sevilha. É a chamada versão tradicional, que fez escola até ao Renascimento. No entanto, estudos posteriores, quer feitos por Epipeto Magalhães, séc. XVI ou até por Gerúndio de Valbom, no mesmo século apontam para outra origem, que passamos a descrever: nos tempos do Condado Portucalense, no século X, existia o Rei Recarei, o Cáustico, que dominava toda a zona ribeirinha e não só. Tinha 2 filhos, o Fred e o Nándo, nomes de origem hindo-europeia. O seu terceiro filho viria a ser o grande Rei Ferdinándo, o Frontespício, que consquistou terras até dar cu pau, entre o Leça e o Ave. Reparemos na construçao do nome: Fred+Nándo, os dois ateriores filhos. O Rei Recarei achou que a junção dos dois nomes faria do 3º filho o mais poderoso, o que de facto veio a acontecer. Em testamento estava escrito, em escrita da época, uma mescla de castelhano, latim e galaico-português: "Facio Rex meu terço fili, Ferdinándo, lo más poderiozo de todollos todos y que reine e tenga mutcha saludi y amigos también". E assim ficou, perante a mágoa dos irmãos mais velhos (embora saibamos que os reis chamados "Bárbaros" chegassem ao trono por aclamação e não por hereditariedade)Ferdinándo "Rex de Todo o Território entre o Rio Leça e o Ave".
Estou certo que outras teorias aparecerão por aqui, já que ainda faltam as duas mais recentes, a de Tomás Inquilino Ribeiro, no XVII, e, principalmente, a de João das Regras e Códigos (Regras por parte do Pai, Códigos por parte do Dr. Salazar), já no século XX.
O mais importante é felicitarmos este fiel amigo, um ex-recruta da Arca Dágua e Senhora da Hora, que só não combateu porque não quis, é preciso dizê-lo enfáticamente.
Espero que sintas-la toda ( esta singela homenagem) como prova de amizade.

Um grande abraço

nuduart disse...

Ganda Nando! Parabéns! Que sintas-la toda, como anteriormente desejaram! E continua a dar-lhe com força por muitos mais anos!

Abraço, Nuno.

Fernando disse...

O meu muito obrigado, meus amigos pela vossa alembrança, um granda abraço para vózes também.

Mudando de assunto, eu quero é saber cumé quo Sr. Dr. Prof. Pedro das Galinhas, teve acesso aos manuscritos da minha famelga, uma vez que estes raros documentos históricos estavam na Torre dos Tombos, na Lísbia Mourisca, fortemente guardados por elementos dos GOIAS, coadjuvados por sete cães a um osso???

Dr.Lux0 disse...

Vós estaindes muito historiozófilos, estaindes estaindes!
Ahahahahaha
Estais aqui, estais ali.
Os Goias não são da família do União? União de Goias e Cia Lda? Fica ali para os lados da constituição. Como quem vai pró canil e segue, segue, segue, segue... e vai lá dar.

Pedro Galinhas disse...

Pois, Sr Ferdinando, descendente dos Ferdinandos do Condado Portucalense, vossa senhoria me desculpará as inconfidências, mas vossa humildade não mais pode prejudicar-vos a si e aos ilustres seus. Assim, depois de muitas e bastas noites sem pregar olho, onde a dúvida e o medo me faziam jorrar suores frios, lá decidi actuar. Dirigi-me à Torre do Tombo, secção de Reservados & Ilustres Famílias, onde depois de um minarete à D. Fernanda, 3 maços de notas de 10 euros ao Góia de serviço, e ainda um osso cheio de carne barrosã para os Rotevailar destacados, consegui tomar posse de um precioso documento, no qual me baseei para tirar do anonimato tão ilustre família, no ostracismo depois de D. Sancho I ter querido desposar D. Ferdinanda, a Vaca, perante a recusa de seu pai, o Rei Ferdinando, o Bronco, que dizia assim manchar o puro sangue portucalense com misturas de origem borgonhesa, se acontecesse o acasalamento com o dito Sancho I de Portugal. Ficaria assim a família dos Ferdinandos votada ao esquecimento, condenada que foi a pagar dez centos de morabitinos por ano à Coroa Portuguesa, bem como a ceder 90% dos seus bens à Igreja (S. Martinho de Dume, seria o destino desses bens), além de que o Rei Ferdinando, o Bronco, estava agora destituído da sua coroa e trono, bem como bastão e manto.
Os Ferdinandos, muito queridos pelo povo e não só, puderam então partir para o asílio. Grão-Pará foi o destino escolhido, mas como ainda não havia sido descoberto, optaram pela Índia, arredores de Caxemira, onde ficaram até que D. Dinis, o lavrador, lhes concedeu o perdão, dando-lhes até as terras do Amial para que pudessem ali recomeçar condignamente as suas nobres vidas.Estamos no ano de 1283, e os Ferdinando, com a velha sabedoria, fariam do Amial zona próspera, criando a paróquia dos capuchinhos, construindo o Vidal Pinheiro, o jardim da Arca de Água, hoje Praça 9 de Abril, átcetra, átcetra...
Com Jorge Sampaio no poder, a família foi outra vez obrigada a cair no anonimato, tal o ódio de morte que a família Sampaio e os Ferdinando nutriam desde tempos imemoriais. Com as presidenciais à porta, eis que surgem os Ferdinando outra vez, com Fernando, o Cigano, à cabeça.
Eis a história desta ilustre família...bem haja, vossa senhoria. Esperávamo-lo com ansiedade...

Dr.Lux0 disse...

Agora que te tornaste historiador não sabes outra... LOL
Mas continua que eu gosto! hehehe
Tás aqui tás a aparecer na TV, qual "José Armando Saraivada do Carvalho"!