domingo, janeiro 08, 2006

QUENTES E BOAS...

ATENÇÃO: O POSTER DE HOJE É LIGEIRAMENTE APIMENTADO!
Os passeios por Santa Catarina proporcionam vistas e espectáculos abundantes. Os olhares furtivos, outros bem despudorados, sobre zonas ocultas de corpos femininos, zonas proibidas, de acesso limitado, mágicas portanto, são, não raras vezes, inspiradoras de movimentos manuais frenéticos, um pouco mais tarde, pela noitinha, ou durante o dia, mas com mais cuidado, que o acto é muito íntimo para ser realizado em público (sei de meninos no Amial que faziam concursos, situação que me parece bastante voyeurista, e como era perante homens, bastante gay até)...UFA! Que grande frase. O quê?! Vão-me dizer que já não esganam o mouco, que isso é coisa do pasado adolescente ou para frustrados insatisfeitos? Tá bem tá! Querem que vos espete com Freud? Ou ainda preferem a velha Gina?...ehehehehehe
Passo agora a contar um episódio hilariante ocorrido na Batalha, um destes dias: para os olhos de muitos tratou-se de um acto estranho, para outros, de atitudes lamentáveis e obscenas. Para a maior parte dos transeuntes terá sido um gesto imperceptível. Um amialense bem nosso conhecido, excitado pelo passeio de belas vistas por Santa Catarina, e por outros motivos ocorridos no Via Catarina, mas esses só ele poderá revelar, se bem entender, fez depois questão de mostrar aos seus dois companheiros de passeio o estado em que se encontrava, puxando com os seus dedos as calças, na zona da cintura, deixando assim à vista parte do garboso membro, tapando-o 3 segundos depois. Um dos espectadores quis assistir outra vez ao espectáculo, prendendo-se num falso pormenor, "não tinha visto bem", dizia, aproveitando-se da boa disposição da boa disposição do autor da façanha, que, de imediato, exibiu de novo o que tinha dentro das calças, qual adolescente em idade de afirmação, orgulhoso daquela benção. O olhar ávido do repetente espectador era também de tristeza, tal a brevidade do momento. O que vocês perdem nestas horas de almoço na Batalha...
O Ecos do Amial vai comemorar um ano. Vamos ter que ir almoçar todos (proponho Churrasqueira do Amial - é bão, barato e perto) para comemorar este magno acontecimento. Lux0, começa, masé masé, a elaborar uma lista (imbentualmente poderá ser feita ó-laine aqui no blogue), marcar o restaurante e o dia do evento. Insisto que deva ser almoço e não jantar, para marcar ainda mais a diferença deste Blogue de referência no panorama universal e até local.

16 comentários:

Anónimo disse...

Não tendo a certeza de nada mas ainda assim quase que posso afirmar que "O olhar ávido do repetente espectador era também de tristeza" foi do responsável pela edição deste post.
Concerteza que ficou com vergonha por causa do marsápio que viu em comparação com o que "ostenta" por dentro das suas cuecas ou slipes.
Falo assim por experiência optica.

Se esganam o mouco ou não, eu não sei, só sei que o meu órgão é muito mais evoluido pois já é digital.

A Alforreca do Nilo.

Anónimo disse...

Pensas que me enganas ó sindicalista?..eheheh...mas foi bem esgalhada. Quem não te conhecer a escrita até pensa que foi uma alforreca. Se fosses mais esperto eu não te apanhava...apanhei-te Bombas...depois explico-te porque te apanhei.

Pedro Galinhas

Pedro Galinhas disse...

Falei com o Bombas ao telefone. Está todo importante porque ganhou o jogo ontem (ao fim de uma era!)e então está a falar de uma maneira estranha, importante. É do tipo de gente que altera o comportamento quando a vida lhe corre bem.
Pode ser que fiques de fora nos próximos jogos para ver se ganhas outra vez alguma modéstia.
Só mais um apontamento, para dizer que os dois Chicos quase que se pegavam à pera no último jogo, não fora a intervenção de um arauto da paz. É vergonhoso, amigos que almoçam juntos ameaçarem-se de cara junta. Estou a pensar seriamente em rever as minhas amizades...

Anónimo disse...

Eu sempre te disse, Pedro, que esse tipo de gente não interessa a ninguém. Relacionaste-te com eles durante anos e o que ganhaste? Nada, nadinha mesmo. Rever, actualizar amizades é um acto de coragem, bom-senso e, sobretudo, inteligência.

Anónimo disse...

Eu também te apoio. Gaijos que arrotam na rua,para não mencionar os gazes que expelem, que faziam concursos de cigonhas com outros rapazes, é gente que não interessa nem ao menino jesus.

bombas disse...

TODA A VERDADE...
Chegou a hora de contar toda a verdade
Esse fanchocho que é o Galinhas pensa que sabe tudo mas não sabe da história a metade. O Comment que diz ser meu nunca o podia ser pois a essa hora (13.10), estava no cemitério com a minha mãe. Que eu saiba os defuntos não precisam de internet nem tampouco computadores nem tampouco Sipião.
No meu ponto de vista foi ele o autor de todos, repito, todos os comentários até agora, TODOS.
Pois vejamos: Porque assina umas vezes em baixo e outras comenta como "pedro galinhas escrevinhou"????
Estará ele tão confuso que nem sabe quando vai postar como anónimo????
Depois pq se vira contra mim desta maneira quando é ele que me chateia a cabeça para lhe fazer companhia aos almoços??? Contraditório no mínimo.
Ainda por cima foi humilhado ontem quando perdeu por uma diferênça inédita de sete, SETE golos. E quando falamos ao telemovel, nem sequer disso falamos.
Deixa de mentir ó galinhas.
Acabem com as brincadeiras que isto é um vlogue sério..

canjas disse...

7 golos não! 8 de diferença! O resultado final foi 11-3! O meu golo "do meio da rua" (sim, estava eu a guarda-redes) também conta! Foi antes de apitar a corneta pro final do jogo! ehehehhe

Dr.Lux0 disse...

Vai para aqui uma confusão do caralhete. Não sei quem é quem, só sei dos que assinam e de mim, mas uma coisa é certa: Anda aqui muita gente enganada!
Uns, que andam a mostrar pintos a galinhas e pombas - phudido é se as galinhas e as pombas forem transexuais - em plena praça da batalha.
Outros que dizem "(...)Ainda por cima foi humilhado ontem quando perdeu por uma diferênça inédita de sete, SETE golos.(...)" ou ainda "7 golos não! 8 de diferença!(...)" que para além de por um chapeuzinho na diferença (é que pode chover), devem ter a memória curta. É que 18-7=11, logo o record ainda é nosso. Esperainde sentadinhos, esperainde. No domingo não estava nos meus dias, apesar de ter marcado um golo, e o tabaco não me deixou fazer muito mais, mas sábado entrem de papo cheio que vos pode sair o tiro pela culatra.

N.B. Sábado vou estar abstinente (de tabaco) desde a hora do almoço!


MUAHAHAHAAHAhahahahaha....

bombas disse...

Como se tu fosses capaz de fazer alguma diferença pela positiva...

MUAHAHAHAAHAhahahahaha....

Calça masé as galochas para a água que metes em vez de olhares para os chapéus de chuva dos outros....

MUAHAHAHAAHAhahahahaha....
MUAHAHAHAAHAhahahahaha....
MUAHAHAHAAHAhahahahaha....

Pedro Galinhas disse...

Antes de mais queria aqui lamentar o erro ortográfico atroz de Francisco Couto, e em seguida que atentem no seu nome COUTO. Pois...em relação ao primeiro aspecto, devo corrigi-lo, senhor COUTO. Não é Sipião, mas Cipião, segundo os historiadores romanos e portugueses, a não ser que me venha contradizer, referindo que toma como referência uma fonte belga ou normanda...o que seria ridículo.
O segundo aspecto prende-se com as suas suspeitas origens, que eu quero aqui desmascarar. Esta família dos COUTO foi expulsa de castela em 1492, juntamente com outros milhares de odiosos judeus. Instalaram-se em Portugal, com autorização de D. Manuel, obrigados à conversão. Mas estes cristãos-novos, ou alguns deles, traziam documentos falsos, como falsa é tudo quanto se refere a este COUTO. Documentos falsos que os davam como cristãos-velhos. Alguns foram descobertos, torturados, encarcerados, queimados, outros, caso da família dos COUTO, conseguiram escapar ilesos, até aos nossos dias. Quem não se apercebe da sua dificuldade em sacar de 4 euros para pagar jogos? É judeu, pois claro. Além disso terá uma fantástica conta na Suiça, e mantém actividades paralelas, disfarçando os seus actos com uma discreta função no SINDICATO DOS MOTORISTAS DO NORTE.
Eis, pois, este farsante, que, imagine-se, chegou ao cúmulo de se casar com uma cristã-velha, Andréia de seu nome, cometendo um pecado que merece a pena capital, entregando a sua inocente filha à judia mãe Sra Dona Fátima, e a sua pobre esposa a um cristão-velho, no caso o denunciante, que a acolherá no seu lar, estando a referida cristã-velha, vitima do porco judeu, obrigada a sustentar o dito destinatário bem-feitor, bem como a servi-lo até que ele assim queira.
Eis pois quem é o COUTO, meus senhores!

bombas disse...

Aqui há trazado ficaste todo ofendido por referir o teu local de trabalho.
Hoje cometes o mesmo erro que tanto criticaste (tu e o teu compinchinha de veneno mal morto).
Quanto ao Cipião, obrigado por mo lo lembrares pois eu sabia-lo, mas no calor da velocidade em que tenho de escrever (por quesões laborais, coisa que tu desconheces) pode-se muito bem trocar os vês pelos bês e os cês pelos ssês.
Só tenho a 4ª classe.
Não tenho mestrado ou douturamento.
Se o tivesse, sabia perfeitamente que Andreia não leva assento como certos e determinados letrados teimam em escrever. Nem tampouco ideia nem tampouco CIPIÃO.

E, quanto aos Judeus, nem te atrevas a querer meter-me a mim ou à minha família no mesmo saco desses Sionistas. Nem a brincar.
E não venhas agora dizer que Sião é Cião....

Pedro Galinhas disse...

Escrevo por vezes palavras que eram usadas pelos nossos avós, e por vezes pelos avós dos meus avós, e, raramente mas ainda acontece, pelos avós dos avós dos meus avós. De modo que por vezes elas lá aparecem. Aos olhos da maioria serão "erros grosseiros", o que não he verdade (viram? lá está, no século XVI escreviam "he" e não "é")?
Por outro lado, quanto ao nome da empresa onde finges que desenvolves a tua actividade, quando na verdade administras os teus bens a partir das tuas máquinas fotográficas, que escondem alta tecnologia informática, idênticas às da Mossad, que te permitem, a milhares e milhares de quilómetros, transferires dinheiro da Suiça pro of-shore na Madeira, Porto Rico ou outro qualquer paraíso fiscal. Olha, para tua informação sei que a GNR está de olho numa conta tua no Bank of Gibraltar. Não te ponhas a toques não.Dizia eu, quanto ao nome que utilizei para designar o local do qual tu dizes retirar os teu sustento, ele foi utilizado segundo critérios altamente elaborados, que não permitem que a verdadeira instituição seja prejudicada pela intervenção desastrosa de gaijos como tu.

canjas disse...

Esta letra toda só pra se "desviarem" do assunto primordial da semana: Os 11-3!!!! Ó Galo? Fala do jogo! O que se passou com a tua equipa, o que se passou com a nossa, onde erraram voces, onde "erramos" nós! Dr Luxo, eu quando me referi aos 11-3 e não 10-3, fi-lo só pra não se esquecerem! Não o fiz pra comparar á pesada derrota que sofremos akiátrasado!

Dr.Lux0 disse...

Bombas, parece que já te esqueceste do post "O culpado" que eu escrevi 4 posts atrás... De repente passas de culpado a herói, queres ver?
Toda a gente (da tua equipa) se vem queixando de ti pelas derrotas sofridas. Agora que ganharam já és o herói, LOL.
Pelas minhas contas a minha equipa tem 9 vitórias, 1 empate e 1 derrota (para não falar de golos marcados e sofridos porque também não m'alembro) o que faz um total de 27 pontos pelo critério de pontos profissional. A tua equipa tem 9 derrotas, 1 empate e 1 vitória o que dá uns míseros 4 pontitos.
Claro que não estou a contar a derrota da minha equipa em que eu não participei por motivos de força maior, como também não contei essa vitória para ti. Mesmo assim dava 27 - 7, o que é quase 4 vezes mais...
Melhor dizendo, e já que vocês começaram o ano a ganhar, nós fomos os campeões de inverno (2005) com 27 pontos e vocês ficaram-se pelo pontinho de glória (1)...
É bom que se moralizem e voem bem alto porque assim, no próximo jogo, o tombo é maior.
AHAHAHAHAHAHAHAHAHA

Pedro Galinhas disse...

O Bombas sofre de um grave síndrome. Ele gostaria de ser o nosso ídolo do desporto. Já lá vão os tempos em que se arrastava pelos campos de andebol de equipas mais que secundárias, e nós, com pena, o incentivávamos, deslocando-nos a campos para o apoiar. Dizíamos que era o maior, que era o que tinha mais elevação e força...(ihihihihi). Longe vão os tempos de Marrocos, onde o Bombas era alcunhado de Van Dame português, pela sua envergadura física, que, em Marrocos, contrastava sobremaneira com os tísicos corpos marroquinos mal nutridos. (eheheheh, esta também foi forte). Longe vão os tempos, mas ele, qual fénix pretensamente renascida das cinzas, insiste em querer ser o mais influente, o mais forte, o mais esperto desta galáxia amialense, que ele despreza. Sê humilde, pá! E andas a querer bater nos teus amigos, ainda por cima?
No próximo jogo, e no outro e ainda no outro, e mais uns 10 temos o crédito, como diria o falecido Peseiro. Basta ver as contas que o DR LUX0 fez...

Muhahahahahaha.

Anónimo disse...

Foda-se. Com tantos anónimos, acho que vou passar a assinar.
Anónimo, pois claro...